Apesar dos seus avanços (em campos como HIV/AIDS, atenção primária, transplantes, imunização e saúde mental), sabemos que as realidades do SUS são marcadas por grande heterogeneidade, em parte ligadas às desigualdades e diversidades de um país federativo e de dimensões continentais como o Brasil. A seção Experiências do SUS refere-se à identificação, debate e estudo de experiências significativas para o SUS, em nível estadual e especialmente municipal e regional de saúde, que tenham apresentado inovações no campo do planejamento, da organização e da gestão de serviços e ações de saúde, de redes de atenção à saúde e do cuidado.  

A contribuição destas experiências para o enfrentamento de desafios do SUS, como o acesso e a qualidade, considerando a diversidade nacional, é um dos aspectos norteadores do seu mapeamento. A apresentação destas experiências no Observatório pode incentivar sua possível adoção ou inspirar iniciativas em outros contextos. Pretende-se também produzir diálogos entre as experiências e as políticas de saúde, colocando-as em análise a partir do real e contribuindo para o aprimoramento das formulações e dispositivos concretos das políticas. 

Algumas experiências poderão, ainda, ser alvo de maior análise/avaliação, sistematização e difusão. 

Esta seção também contempla experiências desenvolvidas pelo SUS, em parceria com movimentos sociais, populações tradicionais e outras representações da sociedade civil com atuação territorial, bem como a interação com experiências internacionais dos sistemas de saúde.